Notícias

Notícias Agrifatto - 10/06

Valor da arroba pode passar por correções no curtíssimo prazo
Após os preços caírem e a liquidez se enxugar na última semana, os preços da arroba podem reagir no mercado físico.

Milho
O Departamento de Agricultura dos EUA divulgará amanhã (11/jun) o novo relatório de oferta e demanda – será o 2º boletim com projeções do USDA para a temporada 2019/20.

A expectativa é que o relatório traga números menores para os grãos, gerando volatilidade aos preços nesta semana, mas com o plantio ainda avançando sobre as áreas previstas, espera-se que os ajustes também sejam conservadores.

Ainda hoje (10), o USDA divulgará o novo boletim com o acompanhamento do plantio nos EUA, com o mercado aguardando por avanços mais consistentes para a semeadura da soja.

E as incertezas para os boletins desta semana geram aversão ao risco aos contratos futuros, com as commodities caindo em Chicago e na B3.

A comercialização no mercado físico pode esfriar nesta semana, com produtores focados na entrega de contratos fechados anteriormente, enquanto a ponta consumidora pode esperar pela chegada de volumes mais amplos da safrinha.

O indicador do CEPEA se ajustou nos últimos fechamentos, acumulando queda de 3,55% no mês, com a última referência em R$ 37,19/sc (queda diária de 0,51%).

Soja
A divulgação ao final desta tarde (10) do boletim de acompanhamento do plantio norte-americano deve esclarecer o desempenho da última semana, quando o período mais seco possibilitou avanços dos trabalhos a campo.

Na semana passada, o relatório indicava plantio de 39% da área prevista, representando 47 p.p. atrás do registrado na mesma época do ano passado, quando estava em 86% - a média dos últimos 5 anos ficava em 79% até a última semana.

Em Chicago, o pregão também inicia a semana em campo negativo, caindo 6,25 cents/bushel nesta manhã (10/jun). O contrato para jul/19 resiste em superar a barreira em US$ 8,50/bushel.

Já o câmbio encontra-se em suporte técnico, respeitando o limite em US$ 3,87/US$, após acumular queda de 0,60% na última semana.

No mercado doméstico, as cotações ficaram menores no último fechamento, refletindo os ajustes para o câmbio e em Chicago.

As indicações no spot em Paranaguá ficaram em R$ 81,55/sc – queda diária de 1,26%. Em Rondonópolis/MT, a queda foi ainda mais acentuada, caindo 4,96% e com referências ao redor de 66,30/sc.

Boi gordo
Após os preços caírem e a liquidez se enxugar na última semana, os preços da arroba podem reagir no mercado físico.

Frigoríficos, que testam preços bem abaixo dos praticados há 10 dias, encontram dificuldades em originar animais nos patamares atuais de preço.

Na ponta vendedora, pecuaristas evitam entregar animais nestes níveis de preços, fazendo com que as escalas se encurtassem na última semana.

Na média das praças levantadas pela Agrifatto, as programações de abate atendem a 6,6 dias. Em São Paulo e Mato Grosso, estão em 6,3 e 7,8 dias, respectivamente.

Na tarde de hoje (10), a Secex (Secretaria de Comércio Exterior) divulgará as exportações da primeira semana de junho. A expectativa é de queda no ritmo dos embarques, pelo fechamento (temporário) do mercado chinês, segundo maior destino dos embarques de carne bovina.

Na sexta-feira (07/jun), o indicador Esalq/B3 ficou em R$ 144,85/@, queda de 0,14% ante o fechamento anterior.

No mercado futuro da B3, os contratos avançaram. O vencimento junho/19 subiu 1,21% e fechou em R$ 150,55/@. Já o contrato futuro para outubro/19 encerrou a sexta-feira em R$ 161,35/@ (+1,22%).

Área restrita

Entre em contato

Receber newsletter


Copyright 2013 Coan Consultoria