Notícias

Notícias Agrifatto - 30/09

Confinamento pode crescer 6,5% neste ano
Em 2019, o Brasil deve confinar entre 5,3 e 5,5 milhões de bovinos.

Milho
O relatório do Imea desta semana destacou a valorização do dólar sobre os custos, com os gastos operacionais subindo 11,84% na safra 2019/20 ante a temporada 2018/19.

Com a valorização cambial, o custo operacional calculado pelo Instituto fica em R$ 2.699,59 por hectare. A valorização de 17,84% dos defensivos tem peso importante na elevação dos custos.

Neste sentido, o Imea destaca que embora o valor do milho tenha caído no estado, e o dólar se valorizado, as negociações de insumos avançaram, e por isso, recomenda-se atenção aos próximos movimentos cambiais, buscando travar novos custos com o dólar em patamares menores, reduzindo a média dos gastos porteira a dentro.

As negociações nos portos brasileiros iniciaram a semana com movimentação ligeiramente maior, houve reporte de companhias buscando por matéria-prima para cobrir necessidades de novembro/19.

Destaca-se que um reaquecimento das negociações nos portos pode elevar o preço de paridade, e pressionar para cima as indicações pela matéria-prima no mercado doméstico.
Soja
O relatório do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária trouxe números menores para o esmagamento de soja no estado, somando 794,06 mil toneladas de soja processada em agosto/19 – queda de 8,64% frente ao mês anterior.

No acumulado do ano, o Brasil processou 6,64 milhões de toneladas, queda de 1,00% em relação aos 8 primeiros meses do ano anterior.

A matéria-prima com preços firmes, reduziu a margem do esmagamento, desestimulando o processamento de volumes maiores.

Além disso, o período é marcado pela manutenção de algumas plantas industriais, o que também colabora para números menores.

E assim como para o milho, a alta cambial impactou negativamente os custos de produção com a soja, calculados em R$ 3.144,41 por hectare na temporada 2019/20.

O destaque fica para os momentos de aquisição dos insumos, de modo a aproveitar oportunidades de compra com valores menores, sendo que a diferença entre o maior e o menor custo variável ficou em R$ 139,56/ha.
Boi gordo
Nesta semana, a expectativa é de manutenção do cenário de preços firmes para o boi gordo.

Ontem (17), as indicações se mostraram ligeiramente maiores no MT, registrando preços médios em R$ 143,00/@ (para descontar impostos).

O aumento de plantas frigoríficas a exportar para China pode ser o pano de fundo para as altas, já que amplia a necessidade de preencher suas programações de abate.

O indicador Esalq/B3 fechou em R$ 160,40/@ no seu último fechamento (17), alta de 1,39% no comparativo diário.

Na B3, o contrato para outubro/19 fechou em R$ 161,30/@ – queda de 0,20 pontos ante o fechamento anterior. O contrato para novembro/19 fechou em R$ 164,00/@, queda de R$ 0,45 ante o fechamento anterior.

Segundo dados preliminares do censo próprio da DSM Tortuga, o Brasil deve confinar em 2019, entre 5,3 e 5,5 milhões de bovinos, número que representa aumento de 4,5% a 8,5% ante o ano anterior.

A empresa também divulgou que a atividade de confinamento nos últimos dez anos tem crescido em média 6% ano, e a firmeza dos preços pecuários, pode ser um estímulo adicional ao confinamento nesta temporada.

Área restrita

Entre em contato

Receber newsletter


Copyright 2013 Coan Consultoria